sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

É ou não pecado se masturbar? A Bíblia não diz nada.

Hermes Fernandes


O caminho ideal escolhido por Deus para que o homem/mulher encontrem prazer é sempre a dois, e não sozinho. Conquanto este seja o caminho ideal, há que se admitir que o auto-erotismo (masturbação) tem sido uma prática muito mais presente do que geralmente se confessa.

É ou não pecado se masturbar?

O que a Bíblia diz sobre o assunto?

A resposta é: nada.

A bem da verdade, a tradição religiosa, baseada em uma errônea interpretação do episódio de Onã , que interrompia o coito, derramando seu sêmen no chão, tem classificado essa prática entre os mais terríveis pecados. Deus não castigou Onã simplesmente por interromper seu coito, e sim porque ele assim agia por saber que o fruto daquela relação seria contado como descendência de seu irmão, e não dele. Além do mais, Onã não estava se masturbando, e sim interrompendo a relação. Fora essa passagem, não há qualquer outra que fale direta ou indiretamente sobre ejacular fora da relação sexual.

Diante do silêncio da Bíblia, o que devemos fazer?

Em decorrência disso, temos a liberdade de lançar mão das recentes descobertas científicas acerca do assunto.

A masturbação é um fenômeno comportamental que pode ser verificado em pessoas de todas as faixas etárias. Na infância ela surge como uma forma de descoberta progressiva do corpo, e é considerada pelos psicólogos como uma fase natural da evolução da sexualidade. Ninguém tocar alarde por flagrar uma criança brincando com seus órgãos genitais. Isso é simplesmente natural.
Pesquisa O Crente e O Sexo - 2011 - Evangélicos CASADOS www.bepec.com.br

Mas é na adolescência que a masturbação atinge sua maior incidência. Essa fase é caracterizada por uma explosão dos hormônios, o que faz com o adolescente se sinta impulsionado a masturbar-se.

Tal prática é também encontrada entre indivíduos adultos, e até casados. Principalmente quando privados da presença do cônjuge por um longo espaço de tempo. Há também aqueles cujos cônjuges ficaram inutilizados por alguma enfermidade ou acidente, e para manterem-se fiéis a estes, preferem masturbar-se.

Alegar que tal prática dá espinhas, ou provoca qualquer tipo de anomalia psíquica, não passa de mito, e já não convence nossos jovens de evitá-la.

Masturbar-se não faz mal à saúde. Mas pode fazer mal à alma.

O problema não está na fricção que se faz no órgão sexual para se obter prazer. O problema está no tipo de pensamentos fantasiosos que é alimentado durante o ato. Ninguém se masturba pensando em futebol, nem na mensagem que foi pregada no último domingo. Geralmente, imagina-se situações eróticas com pessoas conhecidas. E é aí que mora o problema. Principalmente quando a personagem da fantasia é uma pessoa casada.

Estímulos externos, como revistas pornográficas, sites eróticos, ou coisa semelhante, também são condenáveis por Deus, porque reduzem o ser humano a um mero objeto de prazer.

Ninguém deve ser esmagado pela culpa por incidir vez ou outra no auto-erotismo. Cristo está sempre pronto a perdoar e restaurar. Mas há casos em que a masturbação vira um vício. Há homens casados que preferem masturbar-se a ter relação com suas esposas. Isso é patológico. Quem assim age deve se arrepender, e abandonar tal prática.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

Gabi disse...

olá querida gostei da sua reflexão sobre este tema tão polêmico até entre os cristãos, tem muita coisa que a bíblia não fala claramente, mas eu penso que tudo aquilo que fizemos e somos condenados pelo nosso coração é pecado e eu não vejo com bons olhos esta prática, mas cada cabeça uma sentença não é/ bjinhus deus abençoe sempre
www.coisademulhercrista.com

Ana Claudia disse...

Olá obrigada, também gosto desta reflexão do Hermes :)

É verdade!

Amém, e a você tbm :]

Postar um comentário

Faça um blogueiro feliz, comente!
O seu comentário é muito importante!